Graduados devem produzir conhecimento útil para as comunidades

‘Graduados devem produzir conhecimento útil para as comunidades’ diz Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Prof. Doutor Daniel Nivagara

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Prof. Doutor Daniel Nivagara, exortou aos recém-grados pela Universidade Eduardo Mondlane a produzirem conhecimento útil para as comunidades, explicando que o saber adquirido ao longo da formação deve gerar soluções práticas para maior parte dos problemas que assolam os moçambicanos.
O dirigente falava hoje (24/05), no Centro Cultural Universitário, durante à cerimónia de graduação de 524 estudantes de diversas áreas de conhecimento, dos quis 481 licenciados, 39 mestres e 04 Doutores, tendo destacado que o evento demostra parte dos resultados do trabalho empreendido pela UEM e testemunha o contributo do subsistema do ensino superior na formação do capital humano e social nacional.
“As áreas de formação de cada um de vós, compõem as diferentes peças de que o governo, os empregadores e a sociedade em geral necessitam para talharem o seu plano de melhoria de vida para as comunidades, bem como dos planos de desenvolvimento a nível nacional, regional e internacional, daí que a vossa graduação constitui um marco de grande importância”, alertou.
Daniel Nivagar aconselhou à direcção da UEM a continuar a envidar esforços para formar mais mestres e mais doutores, reiterando que este é um desafio e compromisso que deve ser abraçado por todos, incluindo o governo, com vista a aumentar o número de graduados nestes níveis de formação.
MR-1-Grad-2023Por seu turno, o Reitor da UEM, Prof. Doutor Manuel Guilherme Júnior, afirmou que a universidade lança para o mercado o produto do seu trabalho, como uma das formas de prestar contas à sociedade e contribuir para o engrandecimento do país através da formação de capital humano qualificado.
“Durante a vossa formação, atravessaram um período difícil da pandemia, mas nada vos venceu por serem pessoas apaixonadas e abnegadas nos processos de ensino-aprendizagem, investigação, extensão e inovação. Tenho certeza que vocês encontraram na UEM um espaço da realização dos vossos sonhos. Não deve ter sido fácil. Aliás, nunca foi fácil para todas as gerações de graduados, mas orgulhem-se por terem vivido essa experiência”, reconheceu.
Acrescentou que, as competências que os graduados desenvolveram na UEM servirão como guia num mundo marcado por novas e diversas formas de relações afectivas e profissionais, sobretudo competitivo, onde a comunicação é quase completamente mediada por meios virtuais.
Em representação dos graduados, Nilsa Penguisse, garantiu que o conhecimento adquirido na universidade será útil para as comunidades, prometendo dar continuidade com os trabalhos de investigação e extensão.
A mesma opinião foi sustentada pelo presidente da Associação dos Estudantes Universitários, Onório António, que reconheceu a qualidade dos profissionais formados pela UEM, alegando que possuem instrumentos científicos projectados tanto para propor soluções como para derivar novas formulações a partir do contacto com a realidade.

FONTE: UEM