UniPiaget lança 146 quadros superiores

CENTO e quarenta e seis novos técnicos superiores formados nos ramos da engenharia, ciências sociais e saúde foram lançados, sexta-feira, ao mercado de trabalho pela Universidade Piaget (UniPiaget), na cidade da Beira. Trata-se de 133 licenciados, dez mestres e três doutores num acto que marcou a 12.a cerimónia de graduação naquele estabelecimento do ensino superior privado localizado no periférico bairro da Cerâmica.

Os novos técnicos foram formados em clínica de saúde pública, agronomia, construção civil, direito, economia e gestão, desenvolvimento humano e educação e ciências de educação. Falando aos graduados, a secretária de Estado na província de Sofala, Stella Zeca, chamou especial atenção para a humildade no exercício das actividades profissionais dos graduados.

“O diploma que aqui receberam e a roupa que hoje vestiram não vão significar nada se esse conhecimento não for acompanhado por uma postura de humildade.

Conhecimentos muitos têm, mas humildade nem todos possuem. Às vezes nós gastamos tempo a dizer eu sou doutor e depois alguém lá na esquina afirma que ele nem parece doutor por causa do comportamento e da postura. Muitas vezes se pensa que quando se estuda muito, tem que se perder humildade”, sensibilizou.

Defendeu que muitos têm ciência, mas não sabem conviver com os outros. “Estamos a testemunhar a graduação de vários cursos de licenciatura, mestres e doutores, mas a nossa expectativa é que a sociedade espera por vós respostas para os problemas que enfrenta”, recomendou a secretária de Estado.

Falou igualmente de alguns desafios apontando a reconstrução das infra-estruturas públicas e privadas destruídas naquela cidade durante a passagem do ciclone tropical Idai, em Março de 2019.

Voltou a defender uma construção resiliente colocando assim as famílias que se vão beneficiar daqueles empreendimentos determinada segurança em face dos próximos impactos dos eventos climáticos.

“Queremos um reassentamento seguro e virado para o processo de desenvolvimento para que as pessoas não tenham só um abrigo, mas também que possam ter actividades de geração de renda, com todos os serviços complementares”.

Além de infra-estruturas habitacionais a governante vincou a necessidade de inclusão de unidades sanitárias, escolares e mercados. Aos engenheiros agrónomos recomendou um maior dinamismo na produção, duplicando os índices anteriormente alcançados.

Sublinhou que com aqueles graduados poderá haver uma grande diferença na adptação às mudanças climáticas na base do estudo. “Em suma, a vossa postura deve consolidar os conhecimentos em benefício das comunidades”, aconselhou. A secretária de Estado na província de Sofala entende igualmente que aquele acto deve servir de exemplo aos outros estudantes da Universidade Piaget, que ainda não se graduaram, para que possam, continuamente, reflectir no desenvolvimento da comunidade.

Apelou ainda aos gestores da UniPiaget a desenvolverem projectos de transferência de tecnologia e cumprimento da legislação para que haja mais cursos acreditados, permitindo competitividade além-fronteiras. “A cultura de qualidade constante e auto-avaliação devem ser as principais ferramentas de trabalho”, finalizou.

Pandemia trouxe nova abordagem UniPiaget lança 146 quadros superiores POR seu turno, o reitor da UniPiaget, Rui Cumbane, reconheceu que a Covid-19 modificou completamente o “modus vivendi” daquela instituição tendo, evidentemente, numa primeira fase da pandemia afectado a sua dinâmica institucional. Com efeito, indicou que esta nova maneira de ser nunca mais foi abandonada apesar da retoma gradual à normalidade.

Em termos pedagógicos, Cumbane afirmou que se enveredou pelo ensino híbrido com os estudantes a comparecerem na universidade apenas para as aulas práticas. “As aulas teóricas foram ministradas à distância com as dificuldades próprias de uma universidade pensada para a assumir o modelo presencial. Questões como a inexistência de internet barata, robusta que respondesse às solicitações exponenciais dos utilizadores, estudantes, docentes e funcionários, e a exiguidade de meios informáticos para atender à procura quase minaram o sucesso do sistema”, lamentou o reitor da UniPiaget.

Porém, sustentou que com o aprimoramento dos processos e procedimentos, “podemos referir que se pode garantir qualidade nesse modelo de ensino híbrido que representa um salto no domínio das novas tecnologias”.